segunda-feira, 4 de fevereiro de 2008

Renascer

Vem devagarinho, sem se manifestar. Instala-se e só mais tarde dá o ar de sua graça, quando não é desejado, quando não é oportuno. Deixa-nos de rastos, sem forças, impotentes. Arrasa o amor próprio, a auto-estima, destrói a alma.
No fim deita-nos ao chão. Caímos e chafurdamos. Destruímos sentimentos, emoções, relações...
Desespero, amargura, aperto no peito, choro compulsivo que tenta limpar a alma de qualquer coisa que fizemos, que dissemos...
Queremos fugir e não pudemos, temos que ficar, encarar, continuar... e começamos a pensar...
Pensamos que temos de mudar algumas coisas, tantas coisas...
Pensamos que provavelmente temos de sentir menos, de gostar menos, de amar menos, de pensar menos, de fazer menos, de sofrer menos, de nos importarmos menos... E tudo será mais fácil se vivermos para nós, por nós...
E porque tudo na vida se aprende porque alguém nos guia, ganhamos forças e erguemo-nos e vemos mais além, tornamo-nos imunes, capazes...
Açoitamos o cansaço e a tristeza e deixamos o sol entrar...
Simplesmente avançamos mais uns passos!!!
Simplesmente renascemos!!!

1 comentário:

Julio disse...

Muito Profundo! Mas bota lá qualquer coisita mais alegre!

Olha, deixo-te uma frase de amizade:
"O amigo tem que ser como o dinheiro, que antes de necessitá-lo, sabe-se o valor que têm." (Sócrates, o filósofo grego, o introspector! Não o Tuga-sabichão!)

Continua!

Júlio
http://www.luznaturali.eu