terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Isto de começar o dia de trabalho a amarinhar de escadas desde a garagem até ao 5º andar é dose cavalar... Ufa!!!


segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Profundo e sábio!!! :)))

Aquilo que deres a uma mulher, ela vai torna-lo maior. Se deres o teu esperma, ela da-te um bebé. Se lhe deres uma casa, ela vai dar-te um lar. Se lhe deres compras de mercearia, ela vai dar-te uma refeição. Se lhe deres um sorriso, ela vai dar-te o seu coração. Ela multiplica e amplia o que lhe é dado. Portanto, se lhe deres qualquer porcaria, é bom que estejas preparado para receber uma tonelada de m---a.
O Natal já passou e agora já só falta a passagem de ano para voltar à calmaria do dia a dia e começar a praticar as intenções do Novo Ano.
Até lá, continuo a armazenar calorias (temos que aproveitar os restos do Natal que isto não está para desperdícios...)!! Ontem ainda foi dia de consumismo desenfreado: 6 horas no Dolce Vita Tejo com a minha sogra e cunhada, num entra e sai de lojas, chegar a casa de rastos, mas cheia de sacos com novidades, feliz e contente.
Hoje, estou um bocado como o tempo – invernoso. Apetecia-me trocar o Inverno pelo Verão, a chuva pelo sol, o escritório pela minha casinha!

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Happy Christmas

Desejos de um Feliz Natal e que o "velhinho" das prendas seja generoso em Saúde, Paz e Alegria.
Que o Ano de 2010 seja Fantástico e façam o favor de lutarem pelos vossos objectivos, mas sobretudo sejam Felizes.

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Gafe # 1

Após entregar a simbólica lembrança de Natal a uma Senhora do escritório, olho para ela e pergunto-lhe com um ar preocupado: - O que é que lhe aconteceu? Tem o olho negro!!
Ao que ela me responde com a cara ruborizada (penso que fosse de raiva): - Não, está pintado.
Reparei, tarde de mais, que o outro estava mais ou menos no mesmo tom arroxeado :)
Ops, tive que retirar de fininho antes que ela me mandasse a lembrança à cara e ficasse eu com um olho negro.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

"Entre o medo e a Liberdade"

Porquê eu? Onde foi que eu errei? O que queres de mim? Quem sou eu? Quem és TU?

O reaprender passa por um desfazer as crenças e os valores que mantêm o pequeno “eu” vivo e activo, neutralizando-os. A fórmula é simples, mas tu precisas de a praticar...

O problema não está na dificuldade do processo, mas sim na tua vontade em o aceitá-lo. Pensas que queres mudar, mas, na verdade, quando surge a oportunidade da mudança, sentes medo dela... e aí é que está o problema...

Tu não estás sob o efeito do mundo. Antes pelo contrário, o mundo que tu vês e experiências é um efeito de ti, da tua mente, das tuas ideias, das tuas crenças.

O conhecimento é redescoberto por ti através de uma experiência interior, para além de qualquer conceito ou palavras que possas ter aprendido. Essa escolha será feita por ti quando a reconheceres como a única possível e desejável por ti, naquele momento!

Só serás feliz quando tiveres decidido ser feliz e só o conseguirás quando aceitares o método que te fará ver para além do que costumas ver.

Intenções...

Estamos quase, quase a chegar ao final do ano e é nesta altura que se começam a delinear na nossa mente o que é que queremos atingir no ano seguinte. Decidi que além de pedir os típicos doze desejos à meia-noite, vou escrever uma carta de intenções para 2010 (bom... é mesmo intenções e não promessas para não falhar). Assim, no final de 2010 (que por sinal vai ser um excelente ano), posso fazer um balanço entre a intenção e a realização.

Já decidi, em 2010, fazer uma desintoxicação de calorias, consumismo (incluindo desintoxicação à conta bancária), preguiça e à baixa auto-estima, e que as palavras de ordem vão ser:

Proactividade     Produtividade 
     Objectivos      Confiança      Vontade 
     trabalho      Organização 
     Firmeza      Cumprimento      Atitude      Poupança      Energia      Focus
      Disposição      Animo

Estou feliz pela decisão tomada, agora tenho que meter mãos à obra e escrever a dita carta de intenções, que vai ser qualquer coisa do género:

Em 2010 não vou comprar malas, canetas, anéis, relógios, brincos, colares, encharpes nem pantufas. Em relação aos livros (aqui nem promessas nem intenções) vou tentar comprar poucos mas bons.
Vou finalmente perder os 17 kilos que tenho a mais (início da dieta: 4 de Janeiro que é Segunda-feira) e vou finalmente dar uso aos aparelhos de ginástica lá de casa.
Vou-me viciar (ainda mais) em café, red bull e tudo aquilo que me mantenha acordada, pois dormir é um desperdício e há quem diga que me deito muito cedo...
Pronto, o resto vai ficar só escrito na cartinha para não ferir susceptibilidades.

No fundo, o que desejo é que 2010 seja um ano fantástico e que haja muita felicidade e boa disposição.

domingo, 20 de dezembro de 2009

E o Inverno faz-se sentir à séria...
Além do frio, agora a chuvinha não dá tréguas.
Só apetece estar enroscada no quentinho e qualquer actividade torna-se torturante :(
Mais penoso é ver o fim-de-semana chegar ao fim a dar abertura à semana do Natal. E ainda faltam fazer tantas compras. Já tenho alguns presentes prontinhos a serem entregues, mas ainda tenho compras para fazer :(((((((((( por ironia um dos livros que estou a ler intitula-se "Louca por compras" (o livro é muito mais interessante que o filme). Mais ironico é que me revejo na maior parte dos pensamentos e actos da personagem.

e........... a melhor notícia bem quentinha: o BENFICA acaba de ganhar ao Porto. Parabéns Benfica!!!!

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Onde pára o Espírito de Natal?

Ao contrário dos anos anteriores, este ano não me apetece que seja Natal.

Não me apetece comprar presentes, não tenho nenhum embrulho debaixo da árvore de Natal, nem ando a fazer a contagem decrescente habitual para a grande noite.
Talvez o ano tenha passado muito depressa, talvez tivesse uma expectativa diferente para esta altura... Não sei! Mas não queria que fosse Natal...

E penso que este distanciamento à época festiva é geral. Não se sente o espirito festivo nas pessoas, não se vêm sorrisos nos rostos cansados, não cheira a Natal nas pastelarias, não se vêem as luzes a brilhar nas janelas das casas, não cheira a pinheiro, a lareira, a presentes nem a Natal.
Os enfeites de luzes das ruas são muito artificiais, o frio e a chuva que faz é somente a típica do Inverno...
Por tudo isto, e se calhar por mais alguma coisinha, não queria que fosse Natal!
Agradeço a quem me possa ajudar a mudar de sentimento e me faça "sentir" o Natal.


segunda-feira, 14 de dezembro de 2009



O calor de uma vela, uma chama de esperança,
uma palavra de força,
um pensamento positivo,
um sorriso de conforto,
um desejo de sucesso,
um olhar de esperança.
Palavras para quem amanhã me vai telefonar a dar boas notícias de realização de um grande objectivo.
Hoje a lua vai velar por alguém especial para amanhã brilhar com mais esplendor.
Suerte!!!

Uma mensagem a reter, sem dúvida...
Obrigada A.R.S.

Crise...

Na passada Quinta-feira (por sinal dia de aniversário de pessoa muito querida, hehe!!) fui a um seminário cujo tema era “Como sair mais forte da crise: O que Peter Drucker nos diria”.

Claro está que o tema, muito actual, se dirigia à crise financeira que se faz sentir. E não, não é da crise financeira que quero falar, mas, revendo as minhas notas, penso que podemos pensar e aplicar algumas questões sobre a nossa crise pessoal. Sim, porque todos temos crises pessoais, ora porque estamos com a auto-estima em baixo, ora porque a nossa carteira resolveu fazer greve, ora porque achamos que merecemos mais do mundo e de quem nos rodeia...

Assim, partilho as notas soltas que fui tirando e que, no meu entender, podem ser aplicadas quer a nível profissional quer pessoal.

Perguntas para as quais devemos ter uma resposta previamente preparada (as respostas devem ser dadas focando um tema):
- Como é que eu funciono?
- Quais são os meus valores?
- Onde pertenço?
- Quais são os meus pontos fortes?
- Que valor tenho eu para os outros?
- Como é que aprendo?
- Qual deve ser a minha contribuição?
- Onde, tal como sou, posso fazer a diferença?
- Como é que eu mantenho a chama viva?
- Se uma nova pessoa viesse ocupar o meu lugar o que faria de diferente?
- Estou a fazer hoje o que me garante o sucesso de amanhã?
- Se eu decidisse algo hoje, voltaria a fazer como no passado? Se não, como hei-de fazer agora?


Um pequeno auto-teste (t este do espelho)
Em frente ao espelho pergunte-se: que tipo de pessoa quero ver ao espelho no dia seguinte? Caminhe ao encontro da pessoa que quer ver sempre reflectida no espelho.

E como a única coisa que é constante na vida é a mudança, de forma a alterarmos algo da melhor maneira, ficam as reflexões que tomei nota:
- Numa crise quem sobrevive não são os maiores, são os mais flexíveis e adaptáveis;
- As crises, para além do risco que representam, são grandes oportunidades – instinto de sobrevivência;
- Abandonar o passado para construir o futuro;
- O único erro é não mudar;
- Os problemas de uns são as oportunidades de outros;
- “Não existe nada de tão complexo como uma coisa simples” – Oscar Wilde;
- O optimista é um pessimista bem sucedido;
- A coragem evidencia a inteligência, o caracter, o bom senso e faz as coisas acontecerem.

E por fim, devemos ter em mente que para algumas pessoas existem dois tipos de desgraça: os fracassos pessoais e o sucesso dos outros. Façamos desta forma a vida desse tipo de pessoas num inferno.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Calçada Portuguesa :(

Será que alguém já se deu conta que é uma tortura andar nas ruas de Lisboa de saltos altos?
Raios para a calçada (*?:(*/!!||) é menos perigoso andar à beira da estrada do que nos passeios.
As vezes que eu hoje já ia torcendo o pézinho de princesa.
Assim, não gosto. Não gosto não!!

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Hoje é daqueles dias que se abro a torneira vai haver inundação na certa.
Deve ser cansaço ou sei lá, sinto um nó a sufocar e apetecia-me estar em lado nenhum...

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Earth Song - Michael Jackson

Fantástico!!!!

Esperança



Acontece na vida termos rasgos de esperança de que certas coisas vão mudar. Que algo que sempre desejámos se vai concretizar. Visionamos, erradamente, alterações momentâneas de comportamentos, sentimos uma brisa de agitação no ar, mas depois chegamos à conclusão de que afinal está tudo na mesma e que dificilmente haverá, algum dia, uma transformação. E nós próprios deixamos de apostar na mudança e vamos também continuando a ser os mesmos. Não inovamos, não renovamos. E vamos aceitando a inércia do que não comutamos, do que não vivemos.
A questão é que hoje já não é ontem, e amanhã já não será hoje... e o tempo vai passando.
Até que ponto deixamos que a estagnação passe a um estado fétido de lassidão?
Até que ponto vamos tendo esperança na mudança?
Será exigência em demasia? Sonhos de grandeza? Esperança infundada?

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Pouca terra, pouca terra...


E cá estou eu mais uma vez a caminho do Porto.

De comboio e a desfrutar do desenvolvimento da tecnologia. É uma maravilha.
Antigamente ora se lia um livrinho, ora se dormitava. Agora já não há motivos para dar tréguas ao stress. A maior parte destes passageiros vão a trabalhar (tal como eu coff, coff) nos seus offices portáteis… E não é só para o estilo, é que isto é realmente agradável e mantém-nos ligados ao mundo sem interrupções. E não é que a internet funciona o percurso todo??
Bem, a esta hora (13:28) há quem aproveite também para almoçar, o que faz empestar a carruagem com cheiros a lulas guisadas e a carne assada. Arrgghhhh. Vou um bocado para o enjoada. :-( São os tais inconvenientes dos transportes partilhados com alheios.
Pouca terra, pouca terra…


O fim-de-semana foi fantástico!!
Teve início no Parlamento, esganámos o gato, amputámos o porco, assaltámos o castelo e resgatámos as cores de Outono.
A companhia não podia ter sido melhor.
A caminhada prevista foi de quatro rodas e o armazenamento de calorias fez-se sentir, já para não falar da quantidade de néctares ingeridos.
Valeu cada minuto, cada gargalhada, cada momento.
Venham mais fins-de-semana destes. Muitos, muitos mesmo... Elevam o espírito e alegram a alma.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Here I go again

Arouca, Serra da Freita




Depois de uma semana um tanto ao quanto caótica e bastante preenchida (entre dor de dentes e consequente visita ao dentista, viagem de comboio(arghhh) ao Porto para fazer entrevistas de recrutamento, preparação do orçamento RH para 2010, e mais umas tantas coisitas...), heis que chega – nesta Sexta-feira 13 – mais um desejado fim-de-semana.
E este será atípico, pois no final do dia de trabalho, lá vou eu novamente visitar Arouca.
Espera-se um fim-de-semana de comezainas e beberetes (lá se vai a dieta), de caminhadas (para compensar), de reencontros e conhecimentos, e espero de boa disposição e divertimento.
Até lá, há quer ter um cadinho de paciência e ir riscando o maior número de To Do’s possível, fazer a mala, atestar o popó, ir buscar os doces (que fiquei de levar) à pastelaria, e acalmar o stress dos alheios.
Calma, muita calma!!!

Popota

Muito estilo, muita personalidade.
Adoro!!!!!

Sexta-feira 13!?!?!?! Mito?


«Esta superstição pode ter tido origem no dia 13 de Outubro de 1307, sexta-feira, quando a Ordem dos Templários foi declarada ilegal pelo rei Filipe IV de França; os seus membros foram presos simultaneamente em todo o país e alguns torturados e, mais tarde, executados por heresia.

Outra possibilidade para esta crença está no fato de que Jesus Cristo provavelmente foi morto numa sexta-feira 13, uma vez que a Páscoa judaica é celebrada no dia 14 do mês de Nissan, no calendário hebraico.

Recorde-se ainda que na Santa Ceia sentaram-se à mesa treze pessoas, sendo que duas delas, Jesus e Judas Iscariotes, morreram em seguida, por mortes trágicas, Jesus por crucificação e Judas provavelmente por suicídio.

Além da justificativa cristã, antes disso existem duas outras versões que provêm da mitologia nórdica que explicam a superstição. Na primeira delas, conta-se que houve um banquete e 12 deuses foram convidados. Loki, espírito do mal e da discórdia, apareceu sem ser chamado e armou uma briga que terminou com a morte de Balder, o favorito dos deuses. Daí veio a crendice de que convidar 13 pessoas para um jantar era desgraça. Há também quem acredite que convidar 13 pessoas para um jantar é uma desgraça, simplesmente porque os conjuntos de mesa são constituidos, regra geral, por 12 copos, 12 talheres e 12 pratos.

Segundo outra versão, a deusa do amor e da beleza era Friga (que deu origem a frigadag, sexta-feira). Quando as tribos nórdicas e alemãs se converteram ao cristianismo, Friga foi transformada em bruxa. Como vingança, ela passou a se reunir todas as sextas com outras 11 bruxas e o demônio, os 13 ficavam rogando pragas aos humanos.»

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Ele há dias assim…

Uns dias somos heroínas, outros executivas, outros mães, enfim... e outros dias apenas somos mulheres.
E ser mulher às vezes é um bocado chato. Até porque actualmente ser mulher é ser um bocado de tudo isto e mais qualquer coisinha.
Mas actualmente é tudo mais e nada menos. Já não somos as menos competentes, as menos capazes, as menos fortes, as menos inteligentes.
Tanta luta pela emancipação, e agora por vezes achamos tudo demasiado exagerado (tudo nós, tudo nós!!!) e até gostávamos de manter algumas coisas como “antigamente”. Já parece mal ser coquete, já ninguém nos dá o lugar, já ninguém liga aos nossos amuos de senhora ofendida. A luta agora é de igual para igual. Quer dizer... mais ou menos... agora é mais o inverso.
Enfim... divagações!!
Mas, vá lá. Ensinemos os nossos descendentes a apaparicar mais as meninas e que de vez em quando façam o papel de cavalheiros. De vez em quando sabe bem e até agradecemos.

terça-feira, 29 de setembro de 2009


Há dias em que a maneira mais simples de viver em determinados grupos é simplesmente o afastamento. É talvez a única forma de evitarmos a senilidade prematura.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Ah pois é!!… A idade não perdoa e os erros também não!!

Na Sexta-feira passada foi dia de Medicina no Trabalho.
Veredicto: colesterol a 220 e mais 8 kilos do que há 2 anos atrás :(
Este fim de semana despedi-me dos doces, dos queijos, dos salgados e de tudo o que sabe bem mas faz muito mal e que além disso forma ondulações ao longo do corpo, qual boneco Michelin. E... voilà.... hoje foi o dia de pela 1983293ª vez começar a fazer dieta. Agora é só comidinha saudável, muita frutinha, verdura e águinha.
Entretanto arranjei uma ajudinha para queimar calorias e eliminar toxinas. A minha personal trainer particular (ver foto). E não é que já começou a resultar? A quantidade de calorias que já perdi só de enfiar a dita no porta bagagens... e as que agora vou perder (além da paciência) para a montar?
Bem, o importante é que resulte e que eu consiga perder parte da massa adiposa que me envolve o organismo.



Ah, e vou tentar (outra vez) acabar com ou fumos :)

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Ontem o meu filho, que anda na 4ª Classe, Ops!! no 4º ano do 1º ciclo (modernices!!), perguntou-me se eu sabia o que queria dizer T.P.C.
Respondi de imediato: - Claro! É Trabalho Para Casa.
- Não mãe. É Tortura Para Crianças.


terça-feira, 22 de setembro de 2009

Uma questão de Fé


Depois de 3 anos intensos, entre trabalho, estudo, dona-de-casa, mãe, esposa e mais qualquer coisa, posso finalmente respirar de alívio.
Motivo: ACABEI A LICENCIATURA!!
Estou orgulhosa, como é normal, pois não é fácil fazer a gestão de uma coisa que é escassa e está sempre a fugir do nosso controlo – o tempo.
Tiro o chapéu a todos, que tal como eu, lutaram e continuam a lutar por um futuro pessoal mais favorável num país em que infelizmente um “canudo” é sinónimo de competência e preferência nas empresas. Tiro o chapéu porque, sobretudo, é um esforço pessoal, e não há palmadinha nas costas nem palavras de ânimo que nos dê alento se a pessoa não acreditar nela própria e nas suas capacidades heróicas.
Mais do que a sabedoria que os professores nos transmitem (só alguns, outros nem tanto) e dos manuais, fica a força da amizade, as trocas de olhares nervosos em dia de prova, as palavras de consolo quando temos medo de falhar, a ternura de um gesto quando estamos cansados, o conceito de partilha, os festejos de quando conseguimos... e a Fé!
A Fé em nós próprios, a Fé nos mais chegados, a Fé em Deus.
Não houve frequência, exame ou oral em que não visitasse a Capela da Universidade, em que não pedisse a Deus força, apoio e até clarividência quando a matéria se mostrava mais obscura.
Se por Fé, ajuda divina, por mim ou por outro motivo, o certo é que valeu a pena.
E no Sábado passado, lá fui eu com outros 3 colegas, agradecer a Fátima e a Deus a conclusão deste objectivo.
Continuemos a ter Fé. A Fé que move o mundo, para o bem e para o mal. A Fé que nos faz avançar, que nos ajuda em horas de tormento e que nos dá ânimo para continuar.

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Saudade

"Um dia a maioria de nós irá se separar. Sentiremos saudades de todas as conversas jogadas fora, as descobertas que fizemos, dos sonhos que tivemos, dos tantos risos e momentos que compartilhamos.

Saudades até dos momentos de lágrima, da angústia, das vésperas de finais de semana, de finais de ano, enfim... do companheirismo vivido.

Sempre pensei que as amizades continuassem para sempre. Hoje não tenho mais tanta certeza disso. Em breve cada um vai pra seu lado, seja pelo destino, ou por algum desentendimento, segue a sua vida, talvez continuemos a nos encontrar quem sabe...

Podemos nos telefonar, conversar algumas bobagens... Aí os dias vão passar, meses... anos... até este contato tornar-se cada vez mais raro.

Vamos nos perder no tempo... Um dia nossos filhos verão aquelas fotografias e perguntarão?
Quem são aquelas pessoas? Diremos... Que eram nossos amigos. E... isso vai doer tanto! Foram meus amigos, foi com eles que vivi os melhores anos de minha vida!

A saudade vai apertar bem dentro do peito. Vai dar uma vontade de ligar, ouvir aquelas vozes novamente... Quando o nosso grupo estiver incompleto.. . nos reuniremos para um ultimo adeus de um amigo. E entre lágrima nos abraçaremos.

Faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vidinha isolada do passado.

E nos perderemos no tempo... Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo: não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades seja a causa de grandes tempestades. ..

Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!"

Fernando Pessoa

sexta-feira, 31 de julho de 2009

"My Way" Frank Sinatra

Simplesmente grande...