segunda-feira, 5 de julho de 2010


Era uma vez uma corda comprida e robusta.
Apesar de ser uma corda bastante válida e vigorosa, as suas tarefas, na maior parte das vezes, não eram cumpridas com satisfação.
A corda sonhava ser um elástico e achava muito injusto que não a tratassem como tal. Tinha uma atitude tão soberba que nem se dava conta da forma arrogante como tratava os quem estavam à sua volta. No entanto era tratada com todo o respeito e era considerada como válida pelos seus pares.
Ora, pois houve um belo dia que a corda experimentou esticar-se. Esticou-se tanto, tanto que quase parecia um elástico no seu limite. A corda experimentou uma sensação única e não mais queria parar de se esticar.
Os outros avisaram-na do perigo que corria ao esticar-se tanto e não esconderam o seu desagrado por esta manifestação de vaidade.
A corda ignorou-os e continuou a esticar-se e a provar a sensação de nova confiança. Não se deu conta que pequenos e finos fios que constituíam a sua robustez se estavam a partir. Até que um dia, alheia de tudo e de todos, rebentou pelo meio. Ficou perplexa enquanto os outros a olhavam com abandono. Tentou, desesperada dar um nó nas pontas soltas, mas era tarde de mais. Já não servia os intentos para os quais era necessária.
E foi o fim da corda que sonhava ser um elástico...

2 comentários:

Pensamento's disse...

Oi sou novo nesse negocio de blog´s vc sabe como é..estava aqui cheretando o seu e por sinal fantastico mto bom mesmo... e resolvi comentar.. parabéns... um grande abraço e ate mais

Simplesmente eu... disse...

Obrigada.
Também já fui Ver o seu blog.
Pode voltar sempre...

Bj