segunda-feira, 14 de abril de 2008

Quem somos?



Quem somos?
O que somos?
Quem queremos ser?
O que queremos que os outros vejam?
É impressionante os papéis que conseguimos representar ao longo do dia, consoante a mudança de cenário: casa, trabalho, faculdade, compras, carro…, ou de personagens: marido, filho, chefe, colegas, professores, mais colegas, família, amigos…
Somos afectados por humores alheios, por inseguranças de terceiros, por mal amados, por faltas de educação, por arrogância…
Somos afectados por gargalhadas sonoras, por gestos de carinho, por actos de amizade, por toques de conforto…
Somos afectados pela correria do dia a dia, pela falta de tempo e de paciência, pela rotina, pela política, pelas notícias, pelas injustiças, pela crise, pelo desemprego, por tudo e por nada…
Vivemos em ansiedade constante, medo, traumas, sentimentos de culpa, picos de euforia, atentos a tudo e sem dar por nada…
Afinal, mais uma vez, quem somos?
Quando podemos ser realmente quem somos e o que queremos ser?
Mas não podemos deixar que as constantes mudanças de palco e de cena alterem as nossas convicções.
É importante mantermos a nossa essência, o nosso verdadeiro EU!

4 comentários:

Marta Lucas disse...

Nada pode alterar o nosso verdadeiro Eu. Por mais que nos escondamos de nós próprios, por mais que deixemos que esses palcos nos transformem em meros actores de segunda, nunca e por nada, deixaremos de ser nós mesmos. Mas podemos, devemos mesmo, frequentemente, parar... e escutar-nos, lembrar de onde viemos e para onde queremos ir.
Quem somos?
Quem quisermos ser! ;-)
Bjoka mto grande

Porque o mundo é de quem se questiona!

Anónimo disse...

De facto, Quem somos?
Vamos tendo várias personagens ao longo do palco da vida, com a mudança de cenário, mudamos de personagem para tentarmos nos adaptar ao novo cenário.
Em cada mudança, ficamos sempre com um pouco desse personagem em nós, uma vez que o percurso da vida é uma eterna aprendizagem.
Mas o verdadeiro EU, no final, vem sempre ao de cima, o que faz com que sejamos Amados ou Odiados.
Parabéns por este post no teu surpreendente Blog.

Anónimo disse...

o nosso verdadeiro "eu" só revelamos na integra a quem queremos, para os outros à que colocar a mascara para nos defendermos.

o verdadeiro e original fã

Manuela disse...

Pois é...de facto quantos de nós conhece o seu verdadeiro "Eu"?
Vivemos num mundo cruel, onde temos que nos mascarar sistematicamente para que nos aceitem, encndendo a nossa própria personalidade e a essência do nosso verdadeiro "Eu".
Deveriamos parar, fazer uma introspecção da nossa vida e pensar naquilo que somos realmente; abrir as portas do nosso coração, deixar entrar e sair dele o amor, o carinho, a compreensão, a pura essência da vida.
Devemos ser nós mesmos com as nossas qualidades e defeitos. Não nos devemos esconder até porque é na nossa essência que somos mais "bonitos" e "puros"!

Miga, os meus parabéns. És simplesmente LINDA!!!

Beijoka grande
Nelita