segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Crise...

Na passada Quinta-feira (por sinal dia de aniversário de pessoa muito querida, hehe!!) fui a um seminário cujo tema era “Como sair mais forte da crise: O que Peter Drucker nos diria”.

Claro está que o tema, muito actual, se dirigia à crise financeira que se faz sentir. E não, não é da crise financeira que quero falar, mas, revendo as minhas notas, penso que podemos pensar e aplicar algumas questões sobre a nossa crise pessoal. Sim, porque todos temos crises pessoais, ora porque estamos com a auto-estima em baixo, ora porque a nossa carteira resolveu fazer greve, ora porque achamos que merecemos mais do mundo e de quem nos rodeia...

Assim, partilho as notas soltas que fui tirando e que, no meu entender, podem ser aplicadas quer a nível profissional quer pessoal.

Perguntas para as quais devemos ter uma resposta previamente preparada (as respostas devem ser dadas focando um tema):
- Como é que eu funciono?
- Quais são os meus valores?
- Onde pertenço?
- Quais são os meus pontos fortes?
- Que valor tenho eu para os outros?
- Como é que aprendo?
- Qual deve ser a minha contribuição?
- Onde, tal como sou, posso fazer a diferença?
- Como é que eu mantenho a chama viva?
- Se uma nova pessoa viesse ocupar o meu lugar o que faria de diferente?
- Estou a fazer hoje o que me garante o sucesso de amanhã?
- Se eu decidisse algo hoje, voltaria a fazer como no passado? Se não, como hei-de fazer agora?


Um pequeno auto-teste (t este do espelho)
Em frente ao espelho pergunte-se: que tipo de pessoa quero ver ao espelho no dia seguinte? Caminhe ao encontro da pessoa que quer ver sempre reflectida no espelho.

E como a única coisa que é constante na vida é a mudança, de forma a alterarmos algo da melhor maneira, ficam as reflexões que tomei nota:
- Numa crise quem sobrevive não são os maiores, são os mais flexíveis e adaptáveis;
- As crises, para além do risco que representam, são grandes oportunidades – instinto de sobrevivência;
- Abandonar o passado para construir o futuro;
- O único erro é não mudar;
- Os problemas de uns são as oportunidades de outros;
- “Não existe nada de tão complexo como uma coisa simples” – Oscar Wilde;
- O optimista é um pessimista bem sucedido;
- A coragem evidencia a inteligência, o caracter, o bom senso e faz as coisas acontecerem.

E por fim, devemos ter em mente que para algumas pessoas existem dois tipos de desgraça: os fracassos pessoais e o sucesso dos outros. Façamos desta forma a vida desse tipo de pessoas num inferno.

1 comentário:

Yorranda Araújo*-* disse...

Ameii o seu blogg...aii vou le seguir...se gostar do meu blog me segue tbm...beijinhooss!